31/12/1969 Por que fazer um empréstimo?

Por: Everton Olegário Castro

Confira nossas Soluções!

Empréstimo com cheque O dinheiro que você precisa em até 18 meses para pagar.

Desconto em sua folha Para você que é servidor público federal, militar ou aposentado do INSS.

Débito conta-corrente Disponível para servidores públicos que moram em Brasília e não podem mais fazer desconto em folha ou planos com cheque.

 

Vemos no mercado uma explosão da oferta de crédito. Existem dezenas de bancos, financeiras e até lojas de departamentos e supermercados oferecendo o chamado “crédito pessoal”. Esta grande oferta gerou mudanças nos prazos e regras para as liberações, tornando mais flexível e facilitada a aprovação de empréstimos para quem sequer sonhava que poderia realizar estas operações. Sendo assim, não é raro encontrarmos anúncios na TV, em jornais e revistas e até mesmo nos depararmos com abordagens na rua nos oferecendo empréstimo com as mais diversas facilidades:

 

·         Com desconto em folha de pagamento;

·         Para funcionários públicos e aposentados do INSS;

·         Sem consulta ao SPC ou SERASA;

·         Sem avalista;

·         Sem comprovação de renda e muitas outras facilidades...

 

Mas em que casos devemos recorrer à estas operações de empréstimo que nos são oferecidas? Afinal, por que fazer um empréstimo?

 

Quando, por algum motivo, seu orçamento ficar no vermelho e você não encontrar meios para honrar todos os compromissos no final do mês e isto o fizer pagar caro, seja em juros ou em aborrecimentos por ações de cobrança, o empréstimo pessoal pode ser uma boa saída. Mas lembre-se de contar que no mês seguinte haverá uma nova prestação (a do novo empréstimo) que figurará em seu orçamento por algum tempo. Por isso, recomenda-se que o empréstimo seja realizado para pagamento de eventualidades e não para cobrir despesas fixas mensais como pagamento de prestações ou contas de consumo.

 

Por exemplo: José é assalariado e ganha 1000,00 por mês e suas despesas mensais ficam em torno de 750,00. Seu carro quebrou e o reparo custará 800,00. Se ele fosse pagar o conserto do carro à vista estouraria seu orçamento, mas com planejamento ele resolve fazer um empréstimo pessoal em 12 parcelas de 116,00. Assim ele continua com suas despesas domésticas cobertas pelo seu salário, paga a prestação do empréstimo que adquiriu e ainda consegue manter uma folga mensal de 134,00.

 

É importante observar que é possível ter um orçamento onde o que se ganha de salário seja suficiente para arcar com todas as despesas, mas isso exige organização e controle. Se sua despesa é igual ou maior do que o seu salário, então você precisa parar tudo o que estiver fazendo e rever rigorosamente o que está sendo gasto a mais e que pode ser, senão cortado, pelo menos reduzido de modo a lhe gerar as sobras necessárias para arcar com os imprevistos que sempre acontecem em nossos dias.

 

Não esqueça: aproveite a vida, tenha bons momentos e use o crédito sempre que for necessário.

 

Everton Olegário Castro é consultor financeiro, graduando em Gestão Financeira pela UCB e Sócio-Gerente da Brasília Empréstimos